Notícias Fecomercio

8 de abril de 2019

Migrar para o mercado livre de energia requer estudo de viabilidade; saiba o que fazer passo a passo


Conselho de Sustentabilidade da FecomercioSP ressalta ser essencial a análise de uma consultoria especializada no setor elétrico antes de a empresa optar pela saída do mercado cativo

O setor elétrico brasileiro é complexo, e o melhor caminho para as empresas que pretendem contratar energia do mercado livre é se apoiar em uma consultoria especializada. O Conselho de Sustentabilidade da Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo do Estado de São Paulo (FecomercioSP) ressalta que somente com um estudo feito por uma empresa habilitada é possível analisar os reais benefícios da mudança do mercado cativo para o livre.

Apesar disso, alguns fatores devem ser levados em consideração antes de procurar uma consultoria, entre eles, saber qual a importância de energia para a operação da empresa, calcular o valor da energia com relação aos custos dos insumos e com a rentabilidade do negócio, analisar se o perfil de consumo é compatível com a do mercado livre (se a demanda da empresa é de, no mínimo, 500 kW) e avaliar se existe a capacidade de reduzir ou ampliar consumo e de implementar projetos de eficiência.

A empresa especializada avalia o contrato atual do cliente e elabora o estudo de viabilidade para o mercado livre de energia e o planejamento de estratégias de contratação, interface com os órgãos do setor e relatórios customizados. Esse apoio se faz necessário porque, para realizar a migração do mercado regulado, é preciso pagar uma taxa de aproximadamente R$ 6 mil para a Câmara de Comercialização de Energia Elétrica (CCEE), órgão que regula o mercado livre, além de trocar o medidor de energia da empresa. O valor do novo equipamento pode variar entre R$ 20 mil e R$ 100 mil. Confira a matéria completa aqui.

 

Voltar para Notícias